meio -sangue

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

meio -sangue

Mensagem por Convidad em Dom 24 Jul 2011 - 15:15

O que acontece quando a obsessão encontra o poder

Percy Jackson

Passaram-se dois anos depois da guerra eu tava feliz com minha vida, entrei na faculdade de biologia marinha, tenho uma namorada que amo loucamente, tenho vários amigos e o carro dos meus sonhos um maserati azul dado por meu pai Poseidon o todo poderoso deus dos mares no meu aniversario de 17 anos. Minha vida não podia fica melhor.
Bom, agora tava no meu chalé tinha acabado de sair do banho depois de mais um outro dia de treino desse verão, joguei a toalha pro lado e me joguei na cama.
Antes que eu pudesse fechar os olhos ouço alguém bater na porta, bufei de irritação. Aposto que era mais uma das pegadinhas de Connor e Travis tentei ignorar,mas pelo visto o ser era bem insistente
Me levantei morrendo de sono e fui me rastejando ate a porta quando abro,tenho uma grande surpresa E QUE SURPRESA! Assim que vi parece que tinha ejetado cafeína no sangue e agora tava tendo uma overdose por que eu despertei de um jeito.
Afinal quem não despertaria com uma Annabeth encostada na soleira da porta usando um mini short jeans, uma blusa apertada com um sorriso malicioso?
A única coisa que conseguir dizer foi:
-Wow!O que... Vo-vo-você ta fazendo...
Fui interrompido quando ela colocou o dedo na minha boca enquanto ela me empurrava de volta para cama, Annie tava linda, mas tava estranha ela me olhava de um jeito estranho, um olhar... Possessivo e obsessivo pra mim.
-Annie o que ta...
Fui interrompido... De novo! Quando ela me jogou na cama, sentou em cima de mim e começou tirar blusa. Quando ela fez isso não me importei com mais nada! É hoje vai ser uma loooonga noite se é que vocês podem me entender, mas para não traumatizar muitas pessoas inocentes não vou dar muitos detalhes.
Um mês depois...
Hoje era o ultimo dia do acampamento e minha relação com Annabeth não poderia ta melhor... Ou mais estranho, pois é! Depois daquela noite eu levamos nosso relacionamento a uma coisa beeem mais intima, so que o problema é que annie agi como se nada tivesse acontecido, mas tenho certeza que ela faz isso só pra mim irritar e como sempre...eu tava errado. Mas foi bom curtir meus últimos momentos de felicidade antes do meu mundo entrasse em colapso.
Sentados ao pé de uma arvores tava eu, Nico, Rachel, Thalia e mais alguns outros campistas e caçadoras de Ártemis conversando amigavelmente ate quando vejo um barulho de uma porta abrindo agressivamente e uma risada maléfica. Quando olho pro lado vejo Annabeth saindo do meu chalé,o que ela tava fazendo lá? Percebi outra coisa estranha o rosto dela estava molhado, lagrimas caiam descontroladamente e ela soluçava. Eu VOU ACABAR COM A PESSOA QUE FEZ MINHA SABIDINHA CHORAR!
Levantei-me e fui onde ela se encontrava
-Annie por que esta chorando?
E como resposta senti uma pressão do lado esquerdo do meu rosto fazendo minha cabeça virar, coloquei a mão no local que agora ardia: Ela tinha me dado um tapa,daqueles de deixar marca
-O... O que aconteceu?-perguntei meio atordoado, não entendia nada.
-AH VOCÊ QUE SABER O QUE ACONTECEU PERSEU!-Annie berrava entre soluços, ela realmente tava furiosa.
-ACABOU!PERCY... ACABOU!
Quando ouvi isso fique petrificado. A pessoa que mais amava nessa minha vida agora tava me deixando, senti lagrimas caírem.
-Mas... Annie, eu te amo. -falei pra ela que agora tava alguns metros de distancia
-MAS VOCÊ NÃO ME AMAVA QUANDO VOCÊ TAVA TRANSADO COM ELA!-gritou pra mim enquanto apontava pro meu chalé
-SEJA FELIZ COM SUA VIDA, PAPAI! Thalia, por favor, venha comigo - disse annabeth sendo seguida por Thalia enquanto subia a colina, entendi o que ela ia fazer.
-NÃAAAO!ANNIE! NAO FAÇA ISSO!
Mas não adiantava mais. Ela se foi.
Deixei as lagrimas caírem, não agüentei e desabei no chão de joelhos,senti os olhares assustados dos outros campistas sobre mim.Papai?O que ela queria dizer com isso?
-Que é gente?Nunca viram alguém levar um fora da namorada?Circulando!-disse Nico fazendo os outros sumirem.
-o que eu fiz nico?-sussurrei
-eu não sei, venha vamos descobrir o que é-disse ele me dando a mão para eu levantar.
Levantei-me e fui pro meu chalé, assim que vir de novo aquele olhar possessivo e obsessivo por mim, foi ai que a ficha caiu. Eu tinha caído numa armadilha, eu tinha sido vitima de uma mentira tão suja e baixa, eu não acreditei como uma pessoa poderia ser tão fria e trapaceira. Acabei dizendo a única coisa que era verdade
-Você acabou com a minha vida.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Convidad em Dom 24 Jul 2011 - 15:32

Marcus eu gostei da Fic,termina logo viu,to curioso pra saber o resto e quando eu souber quem é o culpado de tudo aquilo,ele vai morrer Twisted Evil

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Convidad em Dom 24 Jul 2011 - 15:37

Minha nova vida



-você acabou com a minha vida
-então venha começar uma vida nova - disse à deusa que arruinou minha vida-eu me apaixonei por você Perseu, corri para Afrodite para ela me ajudar, mas a vadia nada fez, então resolvi te enganar, como sabia que você nunca largaria a filha de Atena, me passei por ela, foi fácil te engana, e daquela maravilhosa noite pra mim...
-fique quieta sua cadela
-não ouse me xingar semi-deus,então continuando ontem Hera veio me avisar,que estava grávida de você,venha morar comigo no Olimpo,nos casaríamos e teríamos uma vida feliz - disse ela chegando mais perto de mim,que ate então estava sentada na minha cama -você seria um deus,nosso filho ou filha também-ela se aproximou mais ainda,me afastei
-Prefiro a morte-então peguei contracorrente do bolso e fui atacar a deusa, só que ela me paralisou no ar, como se tivesse batido em um muro invisível.
-Você fez sua escolha Perseu, mas esse filho será seu daqui nove meses, não a escolha. -ela desapareceu em fumaça do meu quarto.
Na hora senti mais raiva do que nunca, peguei minha mochila e literalmente joguei minhas coisas na bolsa, e sai andando em direção o pinheiro de Thalia, decidido a abandonar de vez o acampamento, Annabeth nunca me perdoaria, Mas Nico me segura pelo braço, eu parei.
-Para onde você vai?O que aconteceu, Percy?
-Eu estou indo embora Nico, pergunte pra aquela maldita deusa o que aconteceu, nunca mais vou voltar.
-Você está falando sério?-perguntou Nico preocupado
-Estou, mas antes me prometa uma coisa, faça com que os deuses cumpram sua promessa, não quero nem um semi-deus sofrendo,e também diga...diga a Annabeth que a amo - Nico falou que sim e sai andando,atravessei a barreira do acampamento,aquilo seria um Adeus para os deuses,nunca iria voltar para lá.
Os meses se passaram depressa, fiquei no apartamento da minha mãe, e só saia para ir à faculdade, minha vida estava uma droga, por mais que as pessoas tentassem me animar, nada adiantava Thalia, Nico e até Quiron já vieram tentar me fazer voltar para o acampamento, mas a única pessoa que eu realmente queria não vinha, minha sabidinha. Com o tempo me concentrava mais e mais nos estudos, tentando, em sorte, me distrair, já havia se passado quatro meses desde que havia abandonado os deuses, naquela tarde em que uma nova vida realmente ia começar, estava na cama assistindo um pouco de televisão, quando minha mãe bate na porta.
-Filho, telefone, é da faculdade. -levantei da cama e fui atender.
-Alô, quem é?
-Perseu, aqui é o diretor da universidade, surgiu uma vaga de intercambio na universidade de Sydney, Austrália, e achamos que você é um candidato perfeito, se tudo der certo, você pode conseguir até um bom emprego lá, então você aceita?-eu sorri quando ele disse aquelas palavras.
-Lógico que sim, quando posso ir?
-Se você arrumar suas coisas poderá partir amanhã mesmo.
Despedi-me de minha mãe e de Paul, arrumei minhas malas e sai, finalmente esqueceria de tudo teria uma vida normal, ou será que não?
ALGUNS MESES DEPOIS...
Minha vida tinha voltado aos eixos novamente, me mudei para Sydney e acabei gostado tanto da cidade que decidir ficar por aqui mesmo quando me formasse.
Acabei alugando um apartamento perto da universidade, que eu dividia com mais dois amigos meus Claire e Mike eles eram gêmeos que ajudava a pagar o aluguel, e por sorte ou azar eles também eram meio-sangues filhos de Niké a deusa da vitória, o que faz deles extremamente competitivos, mas como era uma força menor decidiram seguir uma vida normal em vez de ir para "lá”.

Estava no meu quarto estudando, era uma noite tranqüila, o céu tava limpo, a noite não tava quente e nem fria, Claire e Mike tinha saído provavelmente agora estavam competindo com seus colegas, eram 11 horas da noite eu tava sem sono,a única luz que se via no apartamento inteiro era da minha iluminaria,então eu tava sozinho com vários livros esparramados pela cama e sem Annabeth. Percy foco... foco cara!Ela é passada, a fila anda ok? Não
Voltei a dar minha atenção aos livros, por que se continuasse a discutir comigo mesmo, iria começar a chorar. Respirei fundo, e escutei a campainha tocar.Aposto que eles estavam competindo quem jogaria a chave mais longe e acabou perdendo ela,levantei e coloquei a pilha de livros no chão ao lado da cama e fui atender.
Quando abro a porta, a realidade vem a tona, fiquei paralisado, minha tentativa de ter uma vida nova e esquecer tudo que aconteceu foi pro Hades. IMPOSSIVEL!!!!me despertei do transe e comecei a fazer as contas.PUTA MERDA como pude ser tão imprudente?Não tinha planejado nada para isso.
-eu disse que você não teria escolha - ouvi a voz ela ecoar pela minha cabeça.Contei ate 6547 pra mim acalmar.Ótimo!!!! Alem dela fuder com minha vida, me enganar ainda quer que eu troque fraldas.Vi que não tinha muita escolha e peguei aquele pequeno cesto e entrei em casa,era verdade tinha se passado 9 meses,to ferrado!
Coloquei o cesto no sofá e sentei do lado e comecei a encará-lo,debaixo de uma manta lilás que parecia bem quentinha, tinha um bebe tão pequeno e frágil que dormia tranquilamente,mal sabendo que era fruto de uma enganação,mal sabendo que poderia me trazer tantas lembranças indesejáveis.Não podia culpá-la,ela não tinha nada ver com isso,era só mais uma vitima da trapaça de sua mãe.
Vejo tão que no péda criança tinha um cartão roxo com uma escrita dourada escrito "Mithia Jackson" devia ser o nome dela,coloquei o cartão de volta assim que ouvi a porta sendo aberta
-Ora,ora não é que o presentinho de grego chegou?(piadinha do mal!) espero que tenham entendido o duplo sentido)-disse Mike com sua zombaria de sempre,mas quando ele chamou minha filha de presente de grego meu sangue esquentou,lancei um olhar mortal que o fez parar de rir
-olha como você fala com minha filha,cara - disse,fazendo ele levantar as mãos como se tivesse se redendo
-Esta bom, paizão foi mal!-bufei,fiquei aliviado por eles saberem o que aconteceu,ai não precisaria explicar tudo de novo.
-OOOOOh!mas ela é linda!-disse Claire chegando perto de minha filha que ainda dormia-é sua cara Percy
-PO!...Claire não xinga a menina também ,né?-disse Mike rindo
Claire revirou os olhos,olhou pra mim com um sorriso e disse:
-Nós vamos te ajudar a cuidar dela Percy.
-O que?-eu e Mike dissemos ao mesmo tempo.
-Claire não!...Ta eu não gosto da idéia de ser pai,mas ela é minha responsabilidade,tanto que amanha mesmo eu vou procurar mais um emprego,ai vou ter que estudar enquanto cuido dela,ai depois vou pedir um empréstimo no banco pra compra algumas coisas pra ela e...-suspirei de frustração,não iria conseguir fazer isso e também não podia pedir pra Claire e Mike cuida dela,não queria colocar esse peso nas costas deles seria injustiça,coloquei o rosto entre as mãos.MAS QUE DROGA! logo agora que tudo tava ficando tudo tão bom,por que logo eu?Ela podia ter se apaixonado por que outro homem por que logo eu?
-Viu?Você não vai conseguir fazer isso sozinho.-disse Claire percebendo minha frustração
-Eu sei... só que...eu não posso pedir isso a vocês
-Deixa de frescura Percy! Afinal somos amigos e eu e Mike teríamos o maior prazer em te ajudar, né Mike?-disse ela dando uma cotovelada no irmão
-Hã... Que?Como?...Ah! Claro!-soltei uma risada da confusão dele
-Valeu gente, se não se importarem agora vou ir dormir. Peguei o cesto e fui em direção ao meu quarto, chegando lá coloquei na cama,percebi que Mithia começou a soltar alguns gemidos e se mexer,então ela abri os olhos e...UAU! Eram inacreditáveis, eram verdes,mas não um verde comum,eram verde esmeralda,eles vagavam pelo quarto como se procurasse algum,quando seus olhos encontraram com os meus,ela abriu um sorriso banguela,não resisti tive que rir daquilo.Cheguei mais perto dela e comecei a paparicá-la
-ei filha!-disse enquanto eu a via brincar com meu dedo indicador, fiquei observando ela por questão de horas, ate ela dormir novamente. Nesse meio tempo percebi que valia a pena fazer certos sacrifícios pra ver aquele rostinho sorrindo.Claire estava certa:Minha

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Convidad em Dom 24 Jul 2011 - 15:58

esse e um capitulo onde a filha do percy aparece aproveitem

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Convidad em Dom 24 Jul 2011 - 15:58

Mithia Jackson

13 anos depois...
Minha cabeça estava a mil,eu ficava alucinada só pelo fato de olhar para trás ver um túnel de água se fechado logo atrás de mim,o que seria de minha vida sem o surf?Aproveitei que tava saindo do Tubo e coloquei minha mão esquerda na água,vi ela deslizar levemente pela agua,olhei mais pra cima que acabou recaindo no meu relógio.
-MERDAAAAAAAAAAAA!-gritei tão alto que aposto que toda Bondi Beach pode ouvir,com isso acabei me desequilibrando e cai da prancha,assim que cai senti a onda se quebrando em cima de mim,meu corpo girava e era lançado de um lado para outro impossibilitando a minha volta a superfície,assim que a onda passou voltei para superfície,me apoiei na minha prancha e pensei no caudo que tinha acabado de tomar,acho que nunca fiquei tão perto da morte como agora...ISSO FOI IRADO,MEU!!!!!!!!!!!!
Ai que me lembrei do que me fez cair da onda, olhei novamente para o relógio.-Oh merda!- gemi. Era 7:45 e minha aula começava as 8:00,tinha que cortar 5,5km na perna em 15 minutos.Corre...que dizer remei ate a praia peguei meu skate e minha mochila que era nada mais,nada menos que uma grande e surrada bolsa transversal com um monte de broches de banda de rock,atravessei a rua e joguei minha prancha sobre o muro da minha casa ja que era a beira da praia,meu pai ja tava trabalhando e minha mãe...bom nunca conheci ela.
Tirei meu uniforme dentro da minha bolsa e comecei a vesti por cima do biquíni molhado,o uniforme era daquele estilo old school uma camisa branca de botões por debaixo de um colete cinza,uma saia xadrez,um blazer preto com sapatos de boneca e meias 3/4.Assim que me vestir subi no skate e comecei a correr.
Ok,deixa fala um pouco de mim agora,meu nome é Mithia Jackson,tenho 13 anos e moro em Sydney,Australia e não,ela não é capital da Australia e sim Camberra,como já tinha dito moro na beira de bondi Beach a praia mais badalada de toda Sydney,meu pai se chama Perseus Jackson ele é um americano se mudou pra cá quando era um universitário, ele é um cara jovem com 31 anos e meu melhor amigo.Todo mundo fala que se não fosse pelos meus olhos eu seria a versão feminina de Perseus, é as pessoas são um pouco obcecadas pelos meus olhos,que por estranho que pareça eram verdes esmeraldas.Minha mãe, nunca a conheci e eu até que não sentia muita falta,só que as vezes queria ter alguém para dar um presente no dia das mães. Bom ai esta um pouco de mim, o resto vocês vão ver hoje.
Cheguei na escola ofegante,quando olho pro relógio,droga!Era 08h15min, corri ate ao meu armário, joguei meu skate dentro dele e peguei meu material pra 1° aula:Literatura,AFF!Logo com o professor mais estrassadinho?
Cheguei na sala e bate na porta,quando abriu vejo o Sr.Grings, com seu cabelos grisalhos penteados para trás,com um lápis preso na orelha,ele segurava um livro,onde não pude identificar graças a minha dislexia,assim que ele me viu encostou na porta e me olhou por cima de seus óculos.
-atrasada de novo, né Mihtia?-Isso era verdade, mas como odeio quando as pessoas faziam isso,não podia perder o rebolado
-sabe como é fessor - disse jogando meu cabelo pro lado - a praia tava irresistível hoje!-ele me olhou dos pés a cabeça,quando percebi meu biquíni molhado havia deixado marca no meu uniforme,meu cabelo que batia na metade das costas estava pingando assim como minha saia.
-É...deu pra perceber-concordou,ele suspirou,olhou pra sala e depois pra mim,eu sabia o que iria acontecer e se isso acontecesse eu ficaria de recuperação em literatura
-Olha Mithia você sabe muito bem que nós não...
-Eu ta mbém te adoro fessor - o interrompi enquanto apertava sua bochecha,entrei na sala na maior cara de pau e me sentei,todos os alunos agora olhava pra mim e eu agi como se nada tivesse acontecido. O professor se virou pra mim com olhar serio e disse entres os dentes:
-Cadê o respeito e a educação com os professores, não só com eles mas sim com todo mundo,que nós ensinamos nessa escola?Fiz uma cara pensativa e respondi:
-Foi da um role, provavelmente ta pegando um solzinho na praia-assim que falei tampei a boca discretamente.Beleza...essa saiu sem querer.O professor agora tava vermelho de raiva me olhou furiosamente.FUUUUUUUUUUUUUDEU!
-PRA DIRETORIA MITHIA!-ele falou tão alto que sua voz criou eco, agora tava com medo,meus olhos se arregalaram com o tamanho de sua raiva ,sai da sala sem falar nada foi pro meu armário e encostei minha cabeça nele,eu não acredito que fui tão insana em falar isso,sou mandada para a diretoria em 5 minutos depois da minha chegada,o que eu posso fazer?Sou impulsiva, rir com esse pensamento.
Bom,o que eu faria agora?Pra diretoria que não iria, seria a terceira vez dessa semana e provavelmente ela ligaria pro meu pai,eu não queria isso,meu pai já tinha problemas demais.Comecei a perambular pelos corredores da escola acabei entrando no banheiro feminino,me encostei na parede do fundo e comecei a pensar.
Vamos analisar a minha situação, se eu fosse pra sala da diretora é quase certo ela me mandaria ficar depois da aula limpando apagadores por um mês, afinal é a terceira vez que me mandam para diretoria esta semana, se eu não fosse agora, provavelmente nas próximas aulas,um inspetor iria atrás de mim e eu acabaria na sala da diretora,se eu saísse da escola,eles ligariam para meu pai perguntando por que eu tinha faltado.
Comecei a sentir raiva e ódio de mim mesma, por que eu tinha nascer assim? Com TDAH e dislexia?Por que eu não consigo ser mais uma CDF que o sonho de qualquer professor?Por que eu sempre arrumo encrenca mesmo não querendo?Como vocês acham que me sinto quando entrego meu boletim pro meu pai?Eu tenho vontade de chorar! Minha raiva tava enorme agora, meu pai deve ta pensando como eu era uma decepção pra ele. Droga! Logo ele que faz tudo pra mim ver feliz e eu não consigo nem tirar um B em forma de agradecimento.
-O que aconteceu por aqui?Você me deve explicações Sra. Jackson - disse uma voz autoritária, que acabou me arrancado dos meus pensamentos.
-Que?-perguntei confusa, quando olhei para o banheiro, toda a possível fonte de água estavam abertas ou estourando, pias, chuveiros, canos e privadas, só que além de elas caírem encharcando o chão, a água estava simplesmente flutuando no banheiro formando como se fosse um tapete de água a um metro do chão.-Como você justifica ter alagado todo o banheiro? – perguntou a muhler, olhei para ela confusa, ela não estava vendo que a água flutuava?Fiquei paralisada, meu deus! O que aconteceu? A mulher que estava na minha frente que na verdade era a supervisora da escola pegou meu pulso e me puxou em direção diretoria,quando sai do banheiro a água fez um plof enorme caindo no chão, pronto! Já era. Os alunos olhavam assustados para mim, tinha percebido que eles estavam na troca de horários. Se eu soubesse o que aconteceria agora eu nem estaria esquentando a cabeça por causa da minha quinta expulsão.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Gustavo Vichinsky em Dom 24 Jul 2011 - 16:07

e ta boa mas precisa melhorar

Gustavo Vichinsky
Monitores de Chalé
Monitores de Chalé

Mensagens : 63
Data de inscrição : 01/02/2011
Idade : 19

Ficha do Meio Sangue
HP:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Convidad em Dom 24 Jul 2011 - 17:16

gostei continue ^^

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Convidad em Ter 26 Jul 2011 - 14:26

A volta da Titia Eme


Percy Jackson
Estava perto da Ponte do porto de Sydney esperando o resto da minha equipe para voltamos a sede da empresa para fazer alguns relatórios sobre a pesquisa que fizemos recentemente, eles tinha decidido da uma pausa e ir em um dos 4 restaurantes em Sydney Opera House, puta merda! Ô gente inútil! E eu para não matar eles decidir ficar do lado de fora e fiquei observando a baia de Port Jackson, a paisagem era linda, hoje o céu estava nublado mostrando que o inverno estava chegando, olhei para trás e vir a casa de ópera de Sydney que era simplesmente incrível ver aquele edifício com o formato de velas
-Annie adoraria ver isso. - suspirei, desde aquele dia que ela foi embora tudo que me resta são lembranças, lembranças da época que era feliz, lembranças daqueles olhos cinzas que podia me levar ao paraíso, seu sorriso, seu perfume, seu rosto, sua boca. Isso tudo foi tirado de mim com uma frieza colossal, e tudo que guardava daquela época era uma velha de mim e da Annie, não culpo a Mithia pelos erros cometidos pela sua mãe e também não a odeio por ter nascido, muito pelo ao contrario, eu amo minha filha, ela é um único motivo que me mantém vivo. Mas ela não me fazia esquecer a Annabeth ou deixa de sentir falta dela.
Com esses pensamentos acabei deixando uma lagrima cair, por favor, Percy já não basta você chorar todas as noites por causa dela? Enxuguei a lagrima.
-Pelo visto você ainda não esqueceu dela,hein Percy?- disse uma voz extremamente familiar, oh merda! Como ele me achou? Virei para trás leeeeentamente de olhos fechados, nossa tinha esquecido o fato de ser um semideus, abri os olhos e forcei um sorriso
-Oi pai
-Filho! Ah quanto tempo- disse meu pai que é nada mais, nada menos que Poseidon, ele tava do mesmo jeito que lembrava pele bronzeada, olhos verde-mar iguais ao meu, vestindo igual a um pescador.
-Pois é.... e o senhor sabe o motivo.-disse enquanto ele se aproximava- a propósito, o que o senhor faz aqui?
-Nossa filho! Você não esta feliz com a visita de seu pai?- disse se fingindo de ofendido
-Não é isso, só que você não é uma das pessoas que contava em me fazer uma visita, agora por favor, responda minha pergunta- disse friamente. Logo o rosto do meu pai ficou sombrio
-Você tem que volta pro acampamento, não esta seguro aqui, nem você e nem Mithia- dei uma risada, beleza pai a brincadeirinha foi boa, mas não colou.
-Ta bom... ja estou arrumando minhas malas- respondi sarcasticamente
-Filho isso é serio você tem que ir para lá e tem que levar a Mithia também- disse ele, percebi que ele tava falando serio, logo uma expressão de raiva tomou conta do meu rosto.
-Eu e minha filha não vamos a lugar nenhum, ok? Eu não vou levar minha filha pra um lugar onde ela pode virar brinquedinho de deuses e ser enganada sem importar com seus sentimentos do mesmo jeito que fizeram comigo,agora se me der licença, tenho mais o que fazer- dei as costas pra ele e fui em direção ao resto da minha equipe.
-Coisas estranhas estão acontecendo, a quantidade de monstros é cada vez maior e eles estão ficando cada vez mais fortes, os meios-sangues são atacados com mais freqüência, uma agitação esta acontecendo no tártaro e os deuses não sabe o que esta acontecendo, então decidimos reunir os grandes heróis da ultima batalha e você é o maior deles- disse ele
-Eles podem se virar sem mim, e não se preocupe eu sei me defender- disse sem virar para trás
-Perseus você vai volta pro acampamento e vai levar a Mithia também, isso não é uma escolha, é uma ordem dos deuses - disse meu pai antes dele desaparecer em uma brisa marítima. Meu celular toca no bolso e no visor aprece o nome de Claire, atendo.
- Oi, Claire
- Vem logo pro colégio da Mithia, correndo
- O que aconteceu?
-Vamos dizer que a tia Eme voltou- Oh merda,desliguei o celular e fui correndo pro carro
-Ei Percy! Onde você ta indo, cara?- Ignorei era o George um dos integrantes da equipe. Entrei no carro e pisei no acelerador, mas antes tinha que passar em casa e pegar umas coisinhas e a minha velha companheira.

Mithia Jackson
Estava sendo puxada pela supervisora, chegamos na diretoria e entramos.
- sente-se- disse a diretora apontando a uma cadeira do lado oposto da sua, me sentei e fiquei batucando os meus indicadores nos braços da cadeira, ela ficou me encarando por um bom tempo, aqueles olhos frios já estavam me dando medo o silencio era enorme,não se ouvia nada nem o batucar dos meus dedos que já havia parado a um bom tempo, desde quebrar aquela tensão toda
- Então... a senhora queria falar comigo?- perguntei dando uma de tonta
- Mithia, nós toleramos todas as encrencas que você arrumou...
Mas eu não fiz nada!- interrompi, ela mim lançou um olhar duro
Ah magina!- respondeu sarcasticamente pegando a minha ficha - Só brigas, varias faltas e atrasos e causou uma serie de guerras de comida na cantina, falta de respeito com os professores, entre outros- disse enquanto lia a minha ficha.
Uma raiva me consumiu, olha só, praticamente todos os dias sou perseguida pelos valentões da escola e pra mim defender eu acabo batendo neles(graças as minhas aulas de karatê) e eles batem em mim, e acabo chegando em casa estourada, só que eles dão um jeito e a culpa vem pra mim, ai chega a parte estranha quando vou tomar banho eu automaticamente me curo então meu pai não sabe dessas brigas, faltas e atrasos é por que fico muito tempo surfando e acabo perdendo o horário. Já a guerra de comida é que os filhos da puta vão me perseguir na hora do recreio e tenho que arranjar um modo de escapar e a falta de respeito é que eu falo que eu penso, me desculpem!
- Eu podia te expulsar agora- gelei- mas como o ano letivo esta acabando então vou escrever uma carta falando que você não sera convidada a cursar o 8 ano nesta instituição- Ufa! que alivio
-Melhor quero seus responsáveis aqui- disse
- Meu pai ta trabalhando- respondi sem hesitar
-Tudo bem, temos o numero de alguns amigos intimos se seu pai que por acaso também são seus responsaveis, vamos ver... ah! Claire- paralisei, essa mulher ta querendo me fuder mesmo! sua @#*&%$?!8=+$#@&¨%$*75#¨%. Mereço! Pelo menos a Claire me entendia ela era a única que sabia de tudo sobre mim, as brigas, atrasos, o modo que me curava quando entrava na água, ela disse que um dia eu vou entender por que, eu amava a Claire ela é como mãe pra mim.
(...)
Depois de cinco minutos ouvimos alguém bater na porta.
- Ela chegou -comemorou a diretora – Entre, eu nem quis olhar para trás para não ver o rosto de reprovação da Claire, a diretora olhou pra ela e congelou mas não congelou do tipo virou gelo, congelou do tipo ficou imóvel, como se alguém tivesse apertado o botão "pause"() ai que tudo ficou estranho, a diretora começou a ficar cinza, é cara! Foi sinistro! Em um piscar de olhos a professora tava parecendo aquelas estatuas de pedra de jardim. Sufoquei um grito, senti alguém se aproximando, esse alguém colocou suas mãos nos meus ombros, ouvi um chiado semelhantes a de cobras, que acariciavam o meu rosto, Ta legal! Quem é a porra que ta atrás de mim? Mas nessa hora uma certa intuição cresceu e mim e pela primeira vez eu ouvi minha consciência que dizia "não olhe para tras,se essa coisa fez isso com a diretora, ela pode fazer com você"
-Vejam só! Se não é a filhinha de Perseus Jackson? Finalmente vou sentir o gostinho da vingança- disse a criatura me virando para a direção dela,fechei os olhos.
-Q-q-quem é você?- gaguejei eu tava tremendo de medo, e se essa coisa fosse um traficante ou um sequestrador ou um maníaco? ( é Mithia criminosos transformam pessoas em pedra) disse pra mim mesma.
-Ah você não sabe? Uma garotinha tão esperta como você?-pensei e nada- Sou a medusa, isso não é obvio?
-Medusa? Aquela criatura mitológica? Corta essa isso não existe! O que você fez com a diretora? É o que? Tecnologia japonesa?
-Garotinha ignorante- disse me pegando pelo pescoço e me erguendo- Agora abra os olhos, ouvi dizer que são verdes como duas pedras de esmeralda.
-Não- gemi
-Abra- ordenou apertando mais o meu pescoço, soltei um gemido de dor- Ou então vou ter que abrir para você.
-SOLTA ELA!- gritou alguém, reconheci a voz era Claire, aproveitei o momento de distração, em um golpe de caratê apertei o pulso da criatura que se chamava "Medusa" fazendo ela me soltar em um grito de dor, cai no chão.
-Mithia não olhe!- alertou Claire que devia estar de olhos fechados. Fechei os olhos me levantei rapidamente e empurrei a coisa pro lado a fazendo cair. Segurei o pulso de Claire e saímos correndo
-O que aconteceu? O que aquilo? Eu quero respostas agora!- Falei para Claire enquanto corríamos para fora da escola
-Depois a gente conversa!-falou, odeio esses enigmas que ela, tio Mike e meu pai faziam
Viramos para outro corredor e nos escondemos ainda com a respiração acelerada entre o vão da parede e dos armários, em cima de nós tinha um extintor, ao meu lado Claire digitava alguns números na tecla de seu celular colocou na sua orelha e diz
- Vem logo pro colégio da Mithia, correndo-Disse ela, deduzir que tava ligando para meu pai, ela enlouqueceu?
-Vamos dizer que a tia Eme voltou- respondeu desligando o celular. Ok, tia Eme? Por acaso meu pai já a conhecia? Ele me deve explicações
Ficamos lá por uns 5 minutos eu ainda tava chocada com que tinha acontecido, ouvi passos pelo corredor, Claire se virou pra mim
-Será que é ela?- perguntou
-Não sei, vou olhar- disse esticando o pescoço para o outro corredor.
-Não olhe diretamente - Adverteu Claire me puxando de volta pela manga da blusa.
-Como eu faço então?- perguntei
-Usa isso - disse ela me entregando um espelho de bolsa, abrir e vi outro corredor através dele, logo meu corpo estremeceu, arregalei os olhos, ela se encontrava a poucos metros. Virei-me pra Claire e disse
-Corre!
Ela saiu em disparada junto comigo
-Voltem aqui!- ouvi a Medusa gritar
-Não olhe para trás!- disse Claire que estava a mais ou menos 1 metro na minha frente, corremos mais um pouco e acabei tropeçando em meus próprios pés torcendo um deles. Caí, rapidamente tentei me levantar só que meu pé não permitiu
-Ai!- gritei de dor enquanto desabava novamente no chão
-Mithia!- disse Claire com um tom de preocupação, ela parou de correr e se virou para ver se estava bem, só que infelizmente ela cometeu seu pior erro da vida e o ultimo. Enquanto Claire se virava seus olhos encontram aos de Medusa transformando-a em pedra.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Convidad em Ter 26 Jul 2011 - 14:29

Estados Unidos que nos aguarde


Senti as lagrimas escorrerem pelo meu rosto, não acreditava no que estava vendo a pessoa que considerava a minha mãe, tinha morrido e a culpa era minha, se eu não tivesse caído, ou tropeçado, ou gritado ela ainda estaria viva. Um desespero tomou conta de mim, me levantei ignorei a dor do meu pé e comecei a correr como se minha vida dependia disso, pior que dependia mesmo, conseguir sair do colégio ainda chorando, desci as escadas e atravessei a rua, estava muito assustada e nem me importei de olhar para os lados, cheguei na metade da rua e escutei uma freada bruta,olhe pro lado, vi um carro parado apenas a 2 centímetros da minha perna, olhei para cima para ver quem era, era o meu pai, que alivio! Desabei a chorar enquanto ele saiu do carro dei um abraço nele.
-Minha filha, o que aconteceu?- disse ele olhando bem para os meus olhos.
-EU NÃO SEI! SO SEI QUE UMA TAL DE MEDUSA CHEGOU E COMECÇOU A MIM PERSEGUIR AI ELA TRANSFORMOU A DIRETORA EM PEDRA E A CLAIRE...AI MEU DEUS A CLAIRE!- gritei colocando a Mao no cabelo, eu soluçava, meu pai me puxou para um abraço.
- Vai ficar tudo bem- ele disse me passando confiança, beijou a minha testa e me soltou- eu vou la.
-Pai o que você vai fazer?
-Alguém tem que matar aquele monstro- disse, ele tirou uma caneta do bolso e logo a destampou, WTF! A caneta virou uma espada! Encarei aquilo, aquele caudo que tomei hoje de manhã não me fez bem! Meu pai percebeu e disse com um sorriso no canto da boca.
-Depois te explico.-disse- Por acaso você tem um espelho?- perguntou, joguei o espelho de bolsa da Claire pra meu pai- Ligue para o Mike e avise o que aconteceu. Ele se virou e correu para dentro da escola. Peguei o celular e joguei a bomba nele. Passaram-se 10 minutos e ouvi um grito na escola, encarei a entrada e em seguida vi meu pai sair da escola carregando um saco preto, sua espada já tinha voltado a ser uma caneta, então ele pegou um isqueiro e incendiou o saco em seguida se livrou dele jogando em uma lixeira, ele veio ate mim e encostou no capo do carro ao meu lado.
-Você ta bem?- ele perguntou e eu balancei a cabeça positivamente, me virei para ele e diz
- Acho que você me deve explicações. Ele suspirou
-é verdade... Bem filha você sabe que...- meu pai foi interrompido quando uma caminhonete estacionou em nossa frente, lá saiu o Mike com olhos fundos e com o rosto vermelho e molhado por causa das lagrimas, fui em sua direção e o abracei, ele começamos a chorar com crianças, depois veio o meu pai com as lagrimas escorrendo e também lhe deu um abraço, nós 3 ficamos la chorando em quanto falávamos das coisas que passamos juntos.
(...)
Depois de um tempo Mike decidiu que levaria a estatua de sua irmã e foi embora, eu meu pai entramos no carro, ele passou direto pelo caminho de casa eu estranhei
-Pai, para onde estamos indo?-perguntei
- Bem Mithia, nós estamos indo para os Estados Unidos - respondeu ele sem rodeio, aquilo me assustou, nós tínhamos uma vida e estava deixando para trás sem mais, sem menos.
-E as nossas coisas?E por que estamos indo pra lá?
-Bom suas coisas estão no banco traseiro- olhei para trás e vi minha mala, meu violão, meu skate (sim, eu tenho 2 skates), meu Ipod e meu Iphone- E em quanto o por que, eu te explico quando estivemos no avião- revirei os olhos, como isso era tipico do meu pai.
(...)
Já estávamos dentro do avião e meu pai tava agarrado a poltrona com tanta força que parece que ele iria se fundi com a poltrona, pelo visto meu pai não gosta de avião.
-Então pai vai me explicar tudo isso?- comecei
-Ok, vamos lá!
Então ele me explicou tudo, tudo mesmo, falou que o deuses gregos existiam, que ele era um semideus filho de um deus grego com uma mortal, que no caso dele seu pai era Poseidon o deus dos mares(OMG! eu sou neta de Poseidon!? isso é demais para minha cabeça), falou sobre o acampamento que estávamos indo, sobre aquela coisa que me atacou e que realmente era a medusa, e que eles já tinham se enfrentado quando meu pai tinha 12 anos( OMG!).
Assim que ele falou tudo eu fiquei pensativa.
Ainda não caiu a ficha sobre esse negócio de deuses gregos, mas se for pensar pro outro lado era a única coisa que explicava, porque eu me curava quando entrava na água, por que a água tava flutuando hoje no banheiro, por que eu nunca tinha conhecido a minha mãe, por que eu tinha TDAH e dislexia e outras coisas estranhas. Então acabei acreditando.
-Então eu sou uma semideusa?- perguntei sem me virar para ele
-sim- respondeu
Me virei e o encarei
-Pai,então quem é minha mãe?
-Bem Mithia, sua mãe...-suspirou-sua mãe ela é...ela é....
CONTINUA....

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Convidad em Ter 26 Jul 2011 - 14:33

meus queridos leitores agora e que o percy falara quem e a mãe de mithia por tanto fiquem alertas e digam quem você acha que e a mãe da mithia

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Convidad em Ter 26 Jul 2011 - 14:58

Acampamento Meio-Sangue



Mithia Jackson
-Pai, você esta bem? – ele estava gaguejando como se dizer o nome da minha mãe fosse grande coisa – já caiu minha ficha que sou uma semideusa, minha mãe partiu seu coração, não foi?
-Sim ela partiu meu coração, mas não do jeito que você ta pensando – ele disso serio fitando o vazio, deixei ele pensar um pouco – Vou te contar um a história, a minha historia, três anos antes de você nascer eu fui o salvador do Olimpo, os deuses me ofereceram a imortalidade, mas eu recusei por uma garota, uma filha da deusa da sabedoria, namoramos durante dois anos, e uma noite a gente ficou junto – ele corou, eu ri – passou um mês desde daquela a noite, ela fingia que nada aconteceu, então um dia ela saiu do meu chalé chorando dizendo coisas sem sentido, quando entrei lá vi uma deusa, a sua mãe, ai ela me confessou que foi ela naquela noite, e que eu a tinha engravidado, para mim naquele dia o mundo acabou, arrumei minhas coisas e nunca mais voltei entrei em um luto sem sentido onde só ia para a faculdade, assim que surgiu uma oportunidade de vir para a Austrália eu vim, deixando todo meu passado par trás. – ele terminou de explicar. Querendo ou não, naquele momento eu comecei a chorar, então significava que eu tinha arruinado a vida dele, eu era o motivo da tristeza dele.
-Filha, não se culpe – disse ele adivinhando meus pensamentos – não terminei de contar a historia, depois de um tempo, um lindo embrulhinho com olhos verdes esmeralda apareceu na minha porta e eu me apaixonei de imediato – disse ele me abraçando e secando minhas lagrimas.
-Então quem é a minha mãe? –perguntei com cautela.
-Sua mãe é Hecate, a deusa da magia – e essas foram suas ultimas palavras durante o vôo.Quando chegamos no Estados unidos, meu pai desceu do avião correndo e pegou um taxi e deu um endereço em Long Island que não prestei muita atenção, a viagem de taxi demorou duas horas, e depois de nos largar no meio do nada deu 500 dólares para o motorista, o que era muito mais do que o custo da viagem, pegou nossos malas e me levou colina á cima, e quando chegamos em um pinheiro com uma coisa dourada pendurada, e um dragão guardando ele falou
-Bem vinda ao acampamento meio-sangue. Na hora que pus o pé no acampamento, uma tocha enrolada por uma cobra que ficava a frente uma lua crescente ou minguante, vou eu saber, apareceu em cima da minha cabeça.
-É apenas Hecate te determinado como sua filha, esse é o símbolo dela, uma serpente enrolado em uma tocha sobre uma lua crescente.E assim saímos andando em direção a uma grande casa fomos recebidos por um carinha estranho em uma cadeira de rodas.
-Percy, á quanto tempo, vejo que trouxe sua filha, como ela já foi determinada pode ir direto para o seu chalé – ele se virou para mim –prazer criança, sou quiron, diretor de atividades do acampamento, creio que seu pai já deve ter te explicado tudo, pode ir para seu chalé, é o numero 20, se ficar com duvidas pode perguntar para qualquer campista.Me despedi do meu pai e fui em direção a um monte casinhas que acreditava ser os chalés, me preparando para minha nova vida.
Percy Jackson
Depois de o quiron praticamente ter expulsado minha filha daqui ele me convidou a entrar.
-Então percy, você não é o único herói que voltou, entre na sala de reuniões – eu assenti e atravese á porta logo reconheci alguns rostos
-Percy quero te apresentar Clarisse e Chris Rodriguez – WTF? A ruiva me estendeu a mão.
-E aí cabeça de algas, não vai cumprimentar velhos amigos? – eu apertei a mão dela e depois a de Chris
-Então vocês casaram?
-Sim a 5 anos, saberia disso se aparecesse mais aqui – disse o Chris com um sorriso no rosto.
-Estava meio ocupado – disse, quiron se virou para um garoto de olhos e cabelos escuros com uma jaqueta escura, logo reconheci.
-Creio que se Lembra do Sr. Di Ângelo
-Claro – Nico e eu nos abraçamos
-E aí cara? Como ta a vida?
-Ta ótima, passo a maior parte do ano com meu pai ajudando ele no mundo inferior mas venho aqui nos verões para treinar os meio-sangues, e você?
- To vivendo – ouvi um barulho de porta atrás de mim mas ignorei.
-Chegamos quiron, desculpa a demora, tivemos algumas complicações no caminho – disse uma voz que reconhecia em qualquer lugar, virei e me deparei com minha querida prima Thalia, a dona da voz, mas do lado dela estava uma pessoa inesperada, minha Annie, linda como sempre, com seus cachos loiros caindo pelo ombro e seus olhos cinza fitando todos, mas parecia jovem demais para seus trinta anos.
-Fecha a boca se não entra mosquito cabeça de algas- Thalia disse e todos começaram a rir só ai percebi que estava de queixo caído
-Há quanto tempo priminha querida, vejo que não mudou nada – disse zoando, uma caçadora não muda.
-Então – quiron disse – agora que nossas queridas caçadoras chegaram, podemos começara a reunião sobre o porquê e estarem aqui – como assim caçadoras no plural?
– Sentem se por favor. Todos nós se sentamos em volta da mesa ping-pong.
-Então heróis, a situação não está boa no Olimpo – ele fez uma pausa – alguma coisa esta se agitando no tártaro, e os deuses não tem idéia do que pode ser então por isso vocês estão aqui, precisamos dos heróis da ultima batalha aqui, treinando a nova geração de semideuses para eles estarem pronto para o que estar por vim.
-Mas vocês não têm nenhuma pista? Nada de que nos possa ser util? – perguntei, é justo nos chamarem aqui para lutarem contra algo misterioso?
-O futuro está confuso Perseus, estamos andando cegos sobre uma estrada poderosa, nem o oráculo pode ajudar – disse uma voz atrás de mim, reconheci uma voz atrás de mim, levantei e me virei
-Rachel, a quanto tempo – UOU, a Rachel estava linda, antes ela já era atraente, mas agora era uma mulher o corpo dela era de uma mulher, o cabelo ruivo caia sobre as costas agora longo, ela agora usava um pouco de maquiagem e estava com uma bota e cano curto, um jeans e uma regata colados ao corpo, e que corpo.
-Que saudade de percy – ela correu e me abraçou, que logo retribui, depois ela me soltou e voltei a me sentar, Serpa que vi um olhar raivosa da Annabeth pra Rachel?
-Então, como nosso oráculo disse, não temos pistas, mas treinem os semideuses o melhor que puderem, amanhã depois do jantar teremos uma reunião, os meios-sangues estão curiosos para saber da grande batalha pelo ponto de vista dos próprios heróis.
-E hoje, o que faremos quiron? –Chris perguntou
-Podem se acomodar em seus chalés e arrumar suas coisas, o resto do dia é livre, estão dispensados – todos se levantaram
– ah! Percy e Thalia, o Sr. Di Ângelo já esta acostumado mas talvez seja bom saber que talvez vocês encontrem alguns novos integrantes no seu chalé.
-Traduzindo os três grandes levaram ao pé da letra o que o cabeça de alga aqui falou e pularam a cerca mais algumas vezes? -Thalia disse, raios caíram lá fora e um leve chuvisco caiu no acampamento.-Calmos aí papai e titios só to falando a verdade - Thalia falou para o nada, caímos na risada.E assim fui para o meu chalé, conhecer meus irmão e tentar descobrir o que aconteceu com Annabeth, a minha Annabeth


Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: meio -sangue

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum